AUTORES INSCRITOS

Adelaide Barbosa, (Portimão, Portugal), Adelaide Moça, (Porto, Portugal), Adrian Bayreuther, (Eschborn, Alemanha), Alberto d'Assumpção, (Guimarães, Portugal), Ângelo Vaz, (Vila do Conde, Portugal), Aníbal Alcino, (Viana do Castelo, Portugal), Anna Morales Puigcerver (Barcelona, Espanha), (António Agante, (Coimbra, Portugal), Bernardino Costa, (Vila do Conde, Portugal), Carlos Godinho, (Estremoz, Portugal), Cassio Melo, (Brasil), Constância Néry, (Brasil), Constantin Severin, (Roménia), Delfina Mendonça, (Lisboa, Portugal), Dina de Souza, (Porto, Portugal), Francisco Serra, (Portugal), Irene Pissarro, (Lisboa, Portugal), Izzabella Pavlushko, (Azerbaijão), J.Valcárcel, (Orense, Espanha), Joaquin Manzano, (Arévalo, Espanha), José González Collado, (Ferrol, Espanha), Luis Berrutti (Madrid, Espanha), Luis Soares, (Cascais, Portugal), Kim Molinero, (Lisboa, Portugal), Mari Cármen Calviño, (Corunha, Espanha), Maria Franco Docavo, (Barcelona, Portugal), Maria Tereza, (Lisboa, Portugal), Miguél Ângel Gonzálvez (Barcelona, Espanha), Neiro, (Barcelona, Espanha), Nikolay Pavlushko, (Azerbaijão), Octavi Intenti, (Barcelona, Espanha), Olga Dmytrnko, (Ucrânia), Pedro Bueno Salto, (Corunha, Espanha), Pedro Charneca, (Lisboa, Portugal), Pedro Morillo, (Madrid, Espanha), Rádio Zurich, (Granada, Espanha), Sara Garrote (Chuca) (Corunha, Espanha), Tareixa Barrós, (Corunha, Espanha), Trixi Jahn (Nuremberg, Alemanha).

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

PEDRO CHARNECA

'O picador'
acrílico s/ tela
60X70
1000

'A lide'
acrílico s/ tela
60X73
1150

Pedro Miguel Ourives Charneca, nasceu em Moçambique em 1961. É irmão dos também artistas plásticos Francisco Charneca e de António José Charneca.Aguarelista fascinado pela luz e sombra do Alentejo - Portugal, os seus temas integram paisagens rurais e urbanas e cenas do quotidiano.Nas cenas do quotidiano, Pedro Charneca revela uma atitude intimista das figuras que representa, configurando-lhes mais do que a forma e a cor - dando-lhes também alma e sentimentos.Num precurso de linguagem moderna Pedro Charneca vem buscando novas abordagens plásticas e novos materiais que nos transportam para uma atmosfera de nostalgia de um tempo que em breve não mais poderemos contemplar.No romantismo do seu olhar recriador, Pedro Charneca nos chama a sentir um tempo que foi nosso ou dos que nos precederam, na suavidade poética da aguarela, dando a sensação de que na transparência das suas pinceladas se guarda a história na visão de uma criança que teima em não querer ver o lado feio da vida.Como artista contemporâneo Pedro Charneca revela-se um valor seguro, de criativiade intimista arreigada aos valores da família tradições e dos laços afectivos. Escrupuloso em tudo o que faz, investe qualitativamente na profunda reflexão de cada obra, conferindo-lhes uma profunda maturação.



Um comentário:

Minha lista de blogs