AUTORES INSCRITOS

Adelaide Barbosa, (Portimão, Portugal), Adelaide Moça, (Porto, Portugal), Adrian Bayreuther, (Eschborn, Alemanha), Alberto d'Assumpção, (Guimarães, Portugal), Ângelo Vaz, (Vila do Conde, Portugal), Aníbal Alcino, (Viana do Castelo, Portugal), Anna Morales Puigcerver (Barcelona, Espanha), (António Agante, (Coimbra, Portugal), Bernardino Costa, (Vila do Conde, Portugal), Carlos Godinho, (Estremoz, Portugal), Cassio Melo, (Brasil), Constância Néry, (Brasil), Constantin Severin, (Roménia), Delfina Mendonça, (Lisboa, Portugal), Dina de Souza, (Porto, Portugal), Francisco Serra, (Portugal), Irene Pissarro, (Lisboa, Portugal), Izzabella Pavlushko, (Azerbaijão), J.Valcárcel, (Orense, Espanha), Joaquin Manzano, (Arévalo, Espanha), José González Collado, (Ferrol, Espanha), Luis Berrutti (Madrid, Espanha), Luis Soares, (Cascais, Portugal), Kim Molinero, (Lisboa, Portugal), Mari Cármen Calviño, (Corunha, Espanha), Maria Franco Docavo, (Barcelona, Portugal), Maria Tereza, (Lisboa, Portugal), Miguél Ângel Gonzálvez (Barcelona, Espanha), Neiro, (Barcelona, Espanha), Nikolay Pavlushko, (Azerbaijão), Octavi Intenti, (Barcelona, Espanha), Olga Dmytrnko, (Ucrânia), Pedro Bueno Salto, (Corunha, Espanha), Pedro Charneca, (Lisboa, Portugal), Pedro Morillo, (Madrid, Espanha), Rádio Zurich, (Granada, Espanha), Sara Garrote (Chuca) (Corunha, Espanha), Tareixa Barrós, (Corunha, Espanha), Trixi Jahn (Nuremberg, Alemanha).

quinta-feira, 5 de maio de 2011

AO REDOR DO TOURO em SOUSEL

EM SOUSEL




Foi bonita a festa pá

fico contente

ainda guardo renitente

um velho cravo para mim...

Culminou, no dia 21 de Abril, com uma grande exposição, intitulada 2º Encontro Internacional de Arte Ao Redor do Touro, o intercâmbio entre a Galeria Vieira Portuense e a Câmara Municipal de Sousel.

A mostra era constituída por 133 obras de pintura, escultura, desenho, gravura e fotografia .

Abrilhantaram este evento cultural pintores, escultores, fotógafos, gravadores, gente de Sousel e nortemhos que quiseram juntar-se à festa declamando poemas, quer da sua autoria, quer de poetas portugueses consagrados, alguns até alentejanos como Florbela Espanca, e com cantares alegres e bem dispostos da Tuna Académica do Ismai, baladas de Carlos Andrade e folclore pelo grupo de cantares de Sousel.

O Centro Cultural de Sousel abriu as suas portas e nesta troca de experiências ficamos todos mais ricos

No abraço entre o Interior e o Litoral, do abraço entre as diversas Artes nasceu um momento mágico que ficará na retina de quem o presenciou e por certo frutificará noutros eventos. quem sabe?

Quando se é pequeno, e pouco abastado, por algum lado se há-de começar para fazer crescer a nossa terra, torná- la conhecida e até apetecível. Porque não através da Arte?

É de pequenos passos que se faz a luta para sair do esquecimento a que leva a interioridade:

Neste complexo querer, o dr. Armando Varela e a sua equipa puseram-se à inteira disposição para que o evento fosse um sucesso, esta mostra de Arte em que o touro foi o mote.

Contámos também com a colaboração da corporação de bombeiros locais que nos deram o seu apoio na montagem da Exposição.

A todos agradecemos a interajuda.

A inauguração desta mostra de Arte teve a participação do Presidente do Município dr. Armando Varela, do Presidente da Assembleia Municipal e do Vereador da Cultura.

O dr. Armando Varela fez uma alocução de boas-vindas após a qual os convidados puderam percorrer o espaço e observar detalhadamente as obras nele expostas.

O dia que era de chuva foi de festa e sol nos nossos corações que regressaram mais cheios, pela Arte, pela recepção hospitaleira, pelas paisagens onde pudemos deleitar-nos.

Antonieta Silva


















domingo, 31 de outubro de 2010

ARTE RUPESTRE EM PORTALEGRE

PINTURA RUPESTRE


Uma equipa da Licenciatura e do Mestrado de Arqueologia da Universidade de Évora (UE) descobriu um conjunto de pinturas rupestres numa gruta situada sob o altar de uma Igreja na vila de Alegrete, no concelho de Portalegre. “Do ponto de vista patrimonial (igreja, gruta e pinturas rupestres) é de uma importância extrema este achado”, disse hoje à Lusa Jorge Oliveira, professor responsável pelos trabalhos de arqueologia da UE.
“Este achado é importante porque traz consigo uma memória de cinco mil anos de história e de devoção naquele espaço”, sublinhou. O acesso à gruta, onde foram descobertas as pinturas rupestres esquemáticas de cor avermelhada, faz-se através de uma pequena porta oculta sob o altar da Ermida de Nossa Senhora da Lapa, espaço de culto erguido nos campos circundantes à vila de Alegrete.
De acordo com Jorge Oliveira, as pinturas rupestres, com mais de cinco mil anos, pertencem ao período do “Neolítico e Calcolítico”.
Ainda que parcialmente cobertas por cal, estas pinturas revelam, segundo os especialistas, uma continuada sacralização do espaço, ao qual está associada uma antiquíssima lenda relacionada com um cavaleiro medieval.
“As pessoas visitam aquele espaço todos os anos, principalmente quando se realiza a romaria em honra de Nossa Senhora da Lapa, mas a comunidade não sabia bem o que ia visitar, nem tinha conhecimento daquelas pinturas”, relatou.
Jorge Oliveira, que considera aquela ermida construída entre os séculos XVI e XVII de “elevado interesse religioso”, apelidou também de “elevado interesse etnográfico” o culto desenvolvido pelos populares em redor de uma lenda relacionada com um cavaleiro medieval.
A equipa da Licenciatura e do Mestrado de Arqueologia da UE vai iniciar, na segunda feira, os primeiros trabalhos de estudo daquele sítio histórico, no âmbito de um protocolo estabelecido entre a Junta de Freguesia de Alegrete e a EU.
Numa primeira fase, além da elaboração do levantamento topográfico do local proceder-se-á à fotografia e decalque das pinturas já visíveis e a prospecções arqueológicas na área envolvente da ermida.
A continuação dos trabalhos está prevista para o próximo verão, prevendo-se a limpeza da cal que cobre grande parte das pinturas.
“Vai ser complicado trabalhar naquele espaço pela ausência de luz e a cal que cobre algumas das pinturas também não vai facilitar o nosso trabalho”, disse.
A equipa de trabalho da UE está ainda a equacionar a possibilidade de sondagens arqueológicas no interior da gruta.
Os trabalhos arqueológicos foram recentemente aprovados pelo Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (IGESPAR) e autorizados pela Diocese de Portalegre e Castelo Branco, que tutela aquela ermida.
“A gruta tem um potencial arqueológico interessante que nos vai possibilitar uma escavação que nos poderá levar à identificação de que tipo de vivencias ou depósitos arqueológicos é que estão no chão desta gruta”, concluiu.
Fonte:
O Publico

terça-feira, 26 de outubro de 2010

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Édouard Manet (1832–1883)

Toureiro Morto
Óleo sobre tela
Dimensões 76 × 153,3 cm

Minha lista de blogs